Press /Imprensa

The Weatherman sounds like what might happen if The Beach Boys and Syd Barrett joined hands and sang "Cum Bai Ya"; or if Elliott Smith listened to The Beatles every day of his life, played every instrument under the sun, added some fancy keyboarding and sound bytes, and went frolicking through a field of daisies instead of using heroin. ” - Allegra Willis

Hybrid Magazine

Quem haveria de dizer que Alexandre Monteiro, 26 anos, assomaria do absoluto desconhecido para criar um dos melhores kits de sobrevivência para perigos pop que um ainda virgem 2006 irá saudar? A coincidência geográfica é pouco relevante: The Weatherman transporta consigo cacos de influências pop universalmente validadas, maravilhosamente mastigadas a partir dessa co-urbe chamada Gaia e só não magistralmente vertidas em disco porque o espírito é caseiro e Monteiro ainda não quer ser os Polyphonic Spree. Brian Wilson filtrado («Keep Up the Good Vibes») ou não («Looking for Guarantees») pela electrónica campestre dos Notwist, os Belle & Sebastian em casa dos Of Montreal («About Harmony») e Lennon/McCartney a tratar das arrumações. Temos alquimista. (8/10)»” - Luís Guerra

— Blitz

um espírito claramente influenciado pelas boas memórias de uns Beatles, uns Beach Boys (bem evidentes), uns Kinks, que neste seu álbum promove encontros bem emoldurados entre essa clássica pop de finais de 60, travos folk e traços de contemporaneidade que se pincelam nas artes finais, via discretas electrónicas (por vezes em sintonia com híbridos pop e dança de inícios de 90) ou através do modo como concilia os jogos de formas que convoca” - Nuno Galopim

Sound + Vision

Tudo isto embalado por uma sonoridade pop que remete ainda mais lá para trás, para os psicadélicos anos 60 e 70 do século passado, desde sempre o principal manancial de inspiração para The Weatherman, cuja maior mestria tem sido precisamente o modo como a consegue tornar tão atual.” - Miguel Judas

Diário de Notícias

Que música fariam, hoje, os Beatles? Cruisin' Alaska, álbum do português The Weatherman, é a resposta.” - Gustavo Jesus

Crítica Artística

A surpresa, neste caso, neste ano, esteve e está a cargo de mais um génio (para quem pensava que não havia mais ninguém) português, o tal Homem da Temperatura (Meteorologista) a.ka. Alexandre Monteiro.” - Miguel Cardoso

Café Roubado

Com um percurso discográfico iniciado em 2006, Alexandre faz agora alguns cortes com o passado, aventurando-se por territórios não explorados. A sua obra continua a ter, no entanto, os característicos elementos auto-biográficos, ficcionais, psicadélicos e pós-apocalípticos. Entre novos amores, erros colectivos, mentiras e tempestades digitais que abalam o planeta, “All Cosmologies” pretende ser um disco que se projecta no futuro através de uma viagem ao passado e presente da sociedade actual. ” - Arte Sonora Magazine

Arte Sonora

Foram precisos 10 anos de espera para ouvir “Eyeglasses for the Masses”, o mais recente disco do projeto pessoal de Alexandre Monteiro, The Weatherman. 10 anos para escutar “a obra prima” da carreira do músico que ao longo dos anos sempre delineou uma linha de continuidade nos seus trabalhos.” - Paulo Homem de Melo

Glam Magazine